domingo, 13 de janeiro de 2013

de ser a gente

São as distrações dos dias ao léu que nos fazem brilhantes. Um siricotico aqui ou uma tarde de sono profundo é que dão os ares de alegrias constantes e de fugas premeditadas. Não se faz um bom sucesso sem os fios soltos que nos desconcertam.

Há quem veja na dureza da vida só coisas ruins, que nada...dá pra ser leve, mesmo que se caindo em precipícios. Há de se apostar na marotice dos sorrisos sem motivos e no desvelo dos abraços desconhecidos. Pode não ser nada, mas talvez seja tudo o que temos para nos agarrar.

Sem mais, devemos apostar nas inúmeras formas de se divertir. Nem que essas, sejam as que ninguém vê graça. Criar sonhos nós já sabemos, realiza-los já não é de toda a moleza. Sendo assim, abastecer nosso caminho de doçuras e satisfações é mesmo a melhor opção enquanto a gente não chega ‘lá’. 

Vai ver, esse ‘lá’ seja agora mesmo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está convidado a traficar palavras comigo!