segunda-feira, 1 de setembro de 2014

do que deixou de existir

Quando um amor acaba tudo muda, muda a gente!

 E é aí, meu caro, que a alma desmorona, que doem as ideias, a cabeça fica a pesar, os sentimentos se estilhaçam e, o que restava de um coração cansado, se contorce dentro do peito. 

 Dói tanto que irrita. Ainda mais porque nem tem remedinho para tomar ou ferida exposta para ser estancada.
A indignação já não tem mais dono ou alvo.
 
Afinal, de quem é a culpa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está convidado a traficar palavras comigo!