quinta-feira, 6 de novembro de 2014

de jogar o coração pra longe

Oi, não foge não! Ao menos, dessa vez, fica um pouco aqui comigo.

Vim te perguntar já posso voltar... porque já cansei de ser blasé e me manter à distância (é sério, nem é mais por orgulho ou por questão de charme não posso mais fazer essa cena). 

Eu vim com meu coração na mão te mostrar como já não sou mais inteira. Pega! Só um pouco! Só pra sentir um tantinho como pesa a distância e os nãos que eu guardei aí dentro.


Sou sensorial demais, eu sei...por isso te trouxe várias coisas que eram minhas mas que já não me respondem. Além deste coração que bate sem eu cadenciar e teima em seguir só o teu ritmo, tem outras tantas que você pode bem aceitar e jogar por aí se quiser. 

Estas mãos aqui já nem sentem mais outras peles e outras formas porque ficaram a te procurar depois que me deixou. Meus abraços andam sem graça porque se negaram a dar carinho e aconchego se o receptáculo não for o teu corpo. Meus ouvidos parecem que se aliaram aos teus lábios e decretaram greve às palavras alheias.

Ando assim desajeitada, desculpe. Não é por querer, mas sim por querer a ti e como já disse...depois que tu fugiu, levou um tanto de mim junto. E eu só vim aqui pedir para voltar porque me quero de volta.

Okay!?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está convidado a traficar palavras comigo!