sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Atenção: aqui formam-se líderes!

Em um ano pós-eleição e iniciado com as cerimônias de posse dos eleitos, fica o sentimento de que as promessas sejam cumpridas, que mudanças ocorram e que projeto se concretizem. Em 2010 muito se falou da importância dos jovens no processo eleitoral: tanto os que foram às urnas e às ruas,  os que trabalharam para outros políticos se elegerem e os que estamparam os santinhos e que prometeram ações para essa juventude também!

É nessa vibe que posto aqui uma reportagem homônima publicada em 2007 na revista PLURAL, em parceria com Gabriela Machado e Emanuella Ruviaro. Entre as histórias dos quatro entrevistados: Douglas Eidt, 19, na época presidente da Juventude do PSDB de Restinga Seca-RS; Marcelo Flores Melo, 19, na época presidente do Grêmio Estudantil da Escola Olavo Bilac, de Santa Maria-RS e secretário-geral da União dos Estudantes da Região Centro do RS (UERC); Nelson Marchezan Júnior, na épóca Dep.Estadual pelo PSDB-RS; e de André Carús, na época vice-presidente da Juventude e 2° tesoureiro do PMDB-RS. 

Escolhi a matéria escrita por mim, que conta a história de André Carús, [hoje, Secretário-Geral do PMDB de Porto Alegre. Assessor do Sen. Pedro Simon (PMDB/RS). Vereador Suplente em POA] para postar aqui no Blog. O objetivo é mostrar como os ideais políticos passam de pai para filho e que a força da juventude existe nesse meio tão moldado em interesses.
 

Ideais de consciência e luta são herança de família!

Absorver os ensinamentos dos grandes chefes políticos e assimilar como eles conquistam as massas com suas idéias de um mundo mais justo e consciente é o sonho de muitos jovens que querem se engajar na luta social. Mas conviver com um líder como esse dentro de casa e aprender com ele que o caráter do homem é o maior bem que ele possui, fez com que a jovem liderança política André Carús, Vice-Presidente da Juventude e 2° Tesoureiro do PMDB-RS, tivesse essa consciência política moldada pelo seu maiores herói: o seu pai.
 “Nos dias atuais, os jovens estão cada vez mais distantes da política, pois não existem mais referências sólidas para serem seguidas. Um líder não se inventa da noite para o dia, ele é e deve ser forjado na luta social, estudantil, comunitária, dos partidos e isso se aprende muito com a experiência vivida na sua própria casa”, é assim, com conhecimento de causa, que o advogado André Carús, analisa o papel da  presença familiar na formação do caráter político dos jovens.
Foi vendo a luta do pai, o político Eroni Carús, que seu espírito crítico foi moldado. Ex-vereador de Alegrete, Eroni começou cedo a caminhada política e com 21 anos foi eleito vereador em 59. Reeleito em 63, teve seu mandato cassado pela ditadura militar no ano seguinte. “Sempre muito combativo, foi preso político, perseguido e torturado. Aposentou-se em 1990, após viver em Porto Alegre, minha cidade natal e decidiu voltar com sua família para o Alegrete para ser vereador quase trinta anos depois”, relembra André, “foi por sentir orgulho e satisfação desta trajetória e por acreditar que a política como ele sempre dizia, ‘é um instrumento coletivo de transformação social’ é que sigo este caminho”.
Aos 25 anos, André Carús já tem uma longa caminhada social. Aos dez anos, nas campanhas eleitorais do pai, discursava em comícios e fazia corpo a corpo nos bairros. Na adolescência atuou no movimento estudantil e formou, junto com colegas do 1º ano do ensino médio do Colégio Raymundo Carvalho, em Alegrete, o Grêmio Estudantil Zumbi dos Palmares. Foi Presidente da Juventude do PMDB de Porto Alegre (2005/2007), Diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE), Secretário de Formação Política do DCE Unisinos e assessor político do Senador Pedro Simon (PMDB-RS).
Não se pode negar que a reflexão crítica e valorativa sobre a democracia deve ser construída e afirmada desde cedo, e a família é fundamental. Para André Carús a figura materna também foi decisiva, em meio a história e atuação do seu pai, havia a palavra firme e ao mesmo tempo equilibrada de sua mãe. Exerço meu ideal porque possuo espírito de cidadania e me incomoda conviver com desigualdades, desemprego, ausência de oportunidades e  miséria. Meu ideal, não encontra-se plenamente satisfeito. Talvez, nunca consiga satisfazê-lo por inteiro. Mas há sempre de se ter esperança em dias melhores”, desabafa. 
Em seu blog, Carús divulga várias ações de conscientização fora da esfera político-partidária desenvolvida com a juventude, em escolas e na comunidade.

Um comentário:

Está convidado a traficar palavras comigo!