sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Maria da Penha, olhai pelas outras Marias



Flores despedaçadas em um constante jogo de bem-me-quer e mal-me-quer. Pétalas que perdem a cor e o perfume a cada manuseio incorreto. 

Assim funciona a violência, tanto em uma flor quanto em uma mulher, deixando marcas visíveis e sem reparos. 

Só que na mulher, a cicatriz maior fica escondida na alma e está cravada no coração. Assim, poucos são os que a percebem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está convidado a traficar palavras comigo!