domingo, 29 de janeiro de 2012

de frente para os vinte e cinco


Por esses dias, pedi para que confiscassem a minha carteira de identidade ou então que fizessem a revisão a minha certidão de nascimento. O motivo: hoje os 25 anos estão impressos na minha alma, talvez na minha cara também... mas ainda não entendi como está procedendo na minha mente.

A moçoila aqui sempre acreditou que com o passar dos anos as pessoas crescem, ficam adultas e digamos...mais sérias. Até que, como quem descarta as folhas de um calendário, eu fui me despindo de certos conceitos. Eu já não sei mais esconder que sou criança e descobri que as pessoas não crescem, elas evoluem.

Bem, é nisso que tento me fortalecer. Sou brincalhona, boba para algumas coisas e não aprendi a guardar emoções. Que bom que ao mesmo tempo também me fui colhendo certos ensinamentos ao longo do caminho: sei bem que as minhas verdades não imperam, gosto de acreditar nas pessoas e, sempre que posso, me agarro no pensamento de que tudo nesta vida se encaixa e se organiza.

Coisas boas hão de acontecer para todos nós, sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Está convidado a traficar palavras comigo!