sábado, 2 de outubro de 2010

Pra ela...

De todo o amor que eu tenho. Metade foi tu que me deu
   Hoje [02 de outubro] é aniversário de uma pessoa que realmente posso dizer que se não fosse por ela, eu não estaria aqui: a dona Sílvia, minha Mãe [madrecita querida].
   E eu aqui, longe dela, sem poder encher de beijos ou abraços... fiquei pensando no que dar para uma pessoa que já escreveu até um livro para mim/sobre mim. Ainda acho que as histórias que já existiam por aí não me paravam, que ela teve que escrever uma que me atentasse. E conseguiu!
  Enfim... como sou não escritora, muito menos poetisa [como ela] e não acho que uma reportagem fosse servir para o momento. Então dedico o que tenho para ela, hoje: este blog.
  Não é grande coisa, mas é de coração!!!
  Obrigada a ela que continua escrevendo o seu livro mais intenso: a minha vida.
De todo o amor que eu tenho
Metade foi tu que me deu
Salvando minh`alma da vida
Sorrindo e fazendo o meu eu

Se queres partir ir embora
Me olha da onde estiver
Que eu vou te mostrar que eu to pronta
Me colha madura do pé

Salve, salve essa nega
Que axé ela tem
Te carrego no colo e te dou minha mão
Minha vida depende só do teu encanto
Cila pode ir tranquila
Teu rebanho tá pronto

Teu olho que brilha e não para
Tuas mãos de fazer tudo e até
A vida que chamo de minha
Neguinha, te encontro na fé
Me mostre um caminho agora
Um jeito de estar sem você
O apego não quer ir embora
Diaxo, ele tem que querer

2 comentários:

Está convidado a traficar palavras comigo!