terça-feira, 24 de agosto de 2010

Caiu na rede: Um clique na literatura on-line

Passear por entre estantes repletas de livros de uma biblioteca, e lá gastar um bom tempo. Escrever poesias que se perdem no meio dos cadernos de anotações. Guardar pastas e mais pastas onde estão arquivados os antigos contos escritos. 
Quem já não viveu, ou vive, uma dessas situações? Mas com a popularização dos computadores e da Internet, tudo isso parece ter ficado mais fácil. Ou, pelo menos, mais organizado.
A tecnologia on-line revolucionou e ampliou uma tradição que ganhou o gosto popular graças à prensa de Gutenberg: a literatura. Um olhar diferente sobre a forma de ler e apreciar esses textos virtuais  em blogs, sites e fóruns de discussão na Web fizeram surgir um espaço onde a liberdade de criação é ainda maior. 
A Internet, que antes parecia decretar o fim dos livros e da literatura, transformou-se numa aliada e tanto na divulgação das obras literárias. 

Pequenas histórias de um grande universo
Re-inventar. É isso que as tecnologias vêm fazendo ao longo dos tempos. E com a literatura on-line esse processo não foi diferente. Essa re-invenção não atingiu somente os leitores, mas também fez com que escritores provocassem, em quem lê, novas impressões. A jornalista e produtora de eventos Dedé Ribeiro, cria essa atmosfera ao desenvolver uma identificação entre os diálogos de seus personagens nos Micro-dramas com histórias da vida real. De Porto Alegre, ela escreve pequenas histórias que se originam de frases soltas que ouve no dia-a-dia. A Internet, um meio múltiplo, virou um modo interessante de divulgar esse tipo alternativo de literatura, e Dedé também os envia por e-mail. 

Minicontos, doses homeopáticas de satisfação
A incerteza de que seus textos sairiam ou não das gavetas deixou de existir há um bom tempo. O prazer de ler boas produções literárias, também. E é com uma leitura agradável que o médico e escritor de São Gabriel, Leonardo Brasiliense recheia seu Site. Agilidade é uma das palavras chaves da rede mundial de computadores. Leonardo cria seus Minicontos com textos ágeis e sacadas brilhantes. Os leitores internautas podem se validar de outro trunfo do espaço virtual, o contato com o autor. Essa conexão é importante para o trabalho de quem cria, pois funciona como um termômetro de recepção que pode influenciar na qualidade da produção. E para quem os textos são escritos, a possibilidade da interação torna possível expressar admiração e outras percepções.

Poeta.com
Sem dúvida seria muito atraente a possibilidade de ter um livro onde estivessem reunidas algumas poesias, fotopoemas e mais um tanto de textos em prosa. Mas enquanto não somos surpreendidos com tal compêndio, literalmente de peso, podemos desfrutar de todos esses gêneros com um clique. Um exemplo que explora bem a estética da linguagem, é o Site do santa-mariense Olegário Schmitt. A web, com todo o espaço que dispõe, favorece ainda mais a liberdade de criação. Essa facilidade de materializar pensamentos, seduz. Em sua outra página on-line, o blog Sinal dos Tempos, Olegário se dedica à expressividade da poesia. O estilo, que já narrou as peripécias de grandes exploradores do passado, mostrou vitalidade para brilhar no meio de tanta diversidade de informação e conteúdo que a Internet oferece.

2 comentários:

  1. Isso tudo é muito bom, muito bom... mas espero que não tire o espaço dos impressos... =/ Como a tevê não tirou o do rádio (mas o diminuiu xDD), e a internet não tirou da tv...

    ResponderExcluir
  2. No meu ver, a internet e os livros podem [e mto] se complementarem.
    É mto bom estar lendo um livro e poder ter a internet como espaço de pesquisa para nomes, imagens, lugares e encontrar outras referências sobre o livro ou o autor.


    bjss!

    ResponderExcluir

Está convidado a traficar palavras comigo!