segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O viés da traficante

Quando eu não sei o que fazer, escrevo. Mas isso também acontece para quando eu sei o que fazer. E o mais agravante ainda, toda vez que tenho certeza... também escrevo. Esse não ter por onde escapar é até bom.
  Quando eu era pequena e ainda não pertencia ao mundo das pessoas que sabiam juntar as letras. Eu pegava o lápis e ia passando por cima das letras dos livros e das revistas. Riscava tudo por achar bonito aquele tipo de desenho que só eu não sabia fazer. Ou então recortava e guardava, como quem guarda um pôster ou uma foto. Depois que 'b+a' viraram 'ba' pra mim, as coisas mudaram.. e muito.
   De lá pra cá, já enchi uma montoeira de cadernos com as coisas que aprendia no colégio e outros tantos recriando em poesia o que eu achava ser poesia [eu e essa minha mania de imitar a minha mãe, que é professora e poetisa]!
Mais pra adiante, percebi que eu só ia trabalhar em algo se fosse pra escrever. Mas isso de não ter uma faculdade e nem carteira assinada pra escritor, me fez amassar umas quantas folhas. Até que descobri uma profissão que aliava o agradável ao agradável [sim, desse jeito mesmo]. E não é que virei Jornalista?! Espera... vou delinear melhor isso. O que aconteceu é que, descobri, que eu era Jornalista. Aham! Sim, foi um estalo. Mas pra ser mais específica.. Jornalista de Impresso. 
   É preciso do papel jornal [ou então de um deslumbrante e macio papel couchê]. Necessito ver minhas ideais impressas, táteis e ao alcance dos meus olhos. Coisa de maniática, eu sei. Mas o que há de se fazer?!
Mas como não consigo parar quieta. Vim traficar minhas palavras [as que ainda não encostaram no papel, as que se exibem no jornal ou na revista e aquelas que fogem do teclado especialmente para este blog]. 
Obrigada por estar em busca de outro viés de ilusão!

7 comentários:

  1. Gostei muito do teu texto, uma mistura de emoção com ternura ao recordar a história da tua vida.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo 'ternura', David.
    E da próxima escreve o nome =)))

    bjocas, gajinho

    ResponderExcluir
  3. Márcia,

    Como sempre encanta a todos com as suas belas palavras de inspiraçao e de sentimentos, tenho que admirar que sou seu admirador só falta colocar umas lindas poesias...

    Beijos e muito sucesso!!

    ResponderExcluir
  4. Aah, poesias?! Vamos ver, vamos ver. =)
    Se surgir algumas eu posto sim, pode deixar.
    Gracias pelas palavras!!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Ah, é, a Bárcia é poeta!! \o/ \o/ e melhor do que ter as palavras impressas, é tê-las lidas, Bárcia Bárcia!!\o/

    ResponderExcluir
  6. só sei lidar com sonetos, tercetos e quartetos que tenham personagens e que me permitam o uso desregrado das licenças poéticas. hehe

    =D

    ResponderExcluir

Está convidado a traficar palavras comigo!