terça-feira, 16 de novembro de 2010

a informação em que se toca

O ato de folhear o jornal antes de sair de casa ou de sentar nos bares para ler uma revista entre uma conversa e outra são cenas que demonstram como o impresso é tão popular, o que se deve ao seu formato e linguagem simples e explicativa. 

As folhas de papel com letras e fotos estampadas dão vida e forma aos jornais e revistas. Tratando-se do jornal, ele é uma das mais antigas fontes de comunicação e também o marco do jornalismo.

Para quem o cria, escrever é construir ideias e responder questionamentos para saciar a vontade de quem mais tarde o vai ler; é ter a certeza que em breve o texto que lhe levou a tantos lugares e pessoas para ser feito, vai guiar o leitor a tantas outras situações. O jornalista do impresso tem com o seu leitor uma intimidade, ele está ali representado pela sua reportagem, notícia ou opinião. 

E, assim, o leitor vai a cada linha despindo o jornalista, letra por letra analisa o que está escrito, quando se identifica com o que está ali, guarda e até espalha o texto. Quando se vê insatisfeito com o que leu, põe de lado as folhas do jornal ou da revista, joga no lixo, embrulha o peixe. E o pior, esquece o conteúdo.

2 comentários:

  1. Eu adoro ler. Principalmente revista sobre futilidades femininas no aeroporto ou na manicure.
    Adoro o papel. Apesar de que o que eu escrevo não fica nele. E odeio ler jornal na internet.

    E outra coisa: eu gosto muito de você. ahahah

    ResponderExcluir
  2. Rá! Essas revistas são as melhores, sem contar que nos enchem de informações para serem utilizadas em rodas de conversas!!!
    Pois, tu escreve nele [ou não] e depois jogas tuas palavras pelo 'on air'. Luuxo. hehehe
    Jornal da internet é uma opção que acho interessante, mas continua sendo uma opção. E espero que pra sempre.

    aah.. que coisa, também te gosto :}}

    ResponderExcluir

Está convidado a traficar palavras comigo!